Enfim, Uma Boa Notícia. O Poço da Cachoeira da Geladeira está de volta.

Esta é  a triste imagem da Cachoeira da Geladeira quando a visitamos pela última vez em 2012:

GOPR4573

E veja a maravilha que esta ela hoje, em 2017:

VID-20171026-WA0073

 

Pedal Pico do Urubu e Geladeira galera de Bauru

Se por um lado, na última postagem foi desolador constatar a situação da Cachoeira da Constroli, cujo poço simplesmente desapareceu,  devastado pela força da chuva, neste artigo, para nossa felicidade, o caso agora é o oposto. Sim, uma das cachoeiras mais tradicionais de Garça está de volta com todo seu potencial, poço profundo, águas cristalinas e o encanto que agora está de volta. Foi o que constatou a galera do Sujo de Barro e o Piramba MTB. Thiago Zancopé e seus amigos vieram de Bauru para curtir um pedal que só o município de Garça  pode proporcionar, e representando o Piramba MTB estava nosso velho conhecido Vicente Conessa.

A resiliência da natureza é realmente algo extraordinário, que nada mais é do que a capacidade de um sistema restabelecer seu equilíbrio após este ter sido rompido por um distúrbio, ou seja, é a sua capacidade de recuperação. Difere de resistência (ecológica),  que é a capacidade de um sistema de manter sua estrutura e funcionamento após um distúrbio.

É muito bonito ver o show de resiliência da Cachoeira da Geladeira, parece  ter  se recuperado tão bem que está melhor do que nunca, é fantástico o poder da natureza de resistir e se recuperar sozinha. Não deixa de seu um grande alento em meio a tantas más notícias de agressão ao meio ambiente, desmatamentos, queimadas e desastres  nada naturais que tanto prejudicam os ecossistemas de nosso país.

Bom seria se simplesmente o homem parasse com suas reiteradas agressões contra a natureza, poderia ao menos deixar ela recuperar o seu equilíbrio, mesmo que sozinha e de forma lenta. Só de o homem não atrapalhar, já seria uma grande ajuda.

Rudi Arena

 

Cachoeira da Constroli, Antes e Depois.

 

IMG-20170925-WA0051

Totalmente irreconhecível ficou o lugar, infelizmente a Cachoeira da Constroli  não é mais a mesma. Recentemente fomos lá  e cena foi estarrecedora, tudo estava diferente, nem parecia mais o mesmo lugar,  algo que beira o inacreditável, o choque foi muito grande. O que aconteceu para tamanha transformação? A bela imagem guardada na memória se desmanchou em pouco tempo. Cadê o largo poço que ali existia? Como apareceu tantas pedras, troncos e galhos amontoados? Qual o motivo de as encostas laterais  terem desmoronado? Será que a força da chuva por si só foi capaz de fazer tamanho estrago?

Olha o lindo poço que havia:

IMG-20171019-WA0046

 

E hoje, veja só o estrago, como o lugar perdeu boa parte de seu encanto:

VID_20170923_162741059

 

IMG_20170923_163140371_HDR

IMG_20170923_162725752_HDR

Realmente o sentimento foi de grande tristeza ao se deparar com a cachoeira em frangalhos, era tão linda e tinha o poço mais largo das cachoeiras da região que conhecemos, por isso era frequente uma visita até lá, principalmente por seu um lugar muito bom para o banho e relaxar em suas calmas águas. Hoje, nem dá para chegar em baixo da cachoeira, são tantas as pedras e galhos a serem escalados e ainda por cima há o risco de aquilo poder desmoronar com o peso do corpo, esmagar um pé sei lá, melhor não arriscar.

O que parece mais do que óbvio, é que não é culpa exclusiva da chuva o que aconteceu, mas sim  por negligência  do homem. No curso do d´água antes da cachoeira, foram realizadas muitas intervenções humanas, assim como são muitos os pontos em que inexiste mata ciliar. Mas a cereja do bolo estragado foi transformar áreas que deveriam ser  de preservação permanente em pasto, então o ir e vir dos bois no local agravou bastante a situação. Tudo isso, parece ter deixado o solo bastante vulnerável, e então uma precipitação um pouco mais intensa do que a normal foi o suficiente para fazer tamanha destruição.

Porém, a natureza tem entre suas características, a capacidade de resistir e surpreender, por isso, não duvido que daqui alguns anos ao voltarmos nela, a cena seja diferente e bem mais bela do que a atual. Esta cachoeira já mudou muito o nível e a quantidade de água no poço por muitas vezes, mas nada se comparado com o cenário de hoje. Agora, é torcer para sejam adotadas medidas de revitalização do local, mas o mais provável é que a natureza fique encarregada por este serviço, isso se o homem deixar, ainda assim, seria em passos vagarosos que podem levar anos ou décadas.

Rudi Arena

IMG_20170923_154831208_HDR

Cachoeira do Cipó (ou dos Macacos) – Inédita

 

Desta vez a opção foi pelo Trekking, deixamos a bike de lado e saímos de uma pequena propriedade rural que fica na beira da estradinha de terra conhecida como km 10 localizada entre Garça e Álvaro de Carvalho, com uma grande expectativa de conhecer uma nova cachoeira.

Dá pra ir de bike também, é só querer. É relativamente fácil, mas tem um momento em que é preciso mergulhar pirambeira abaixo até o fundo vale e achar o curso da água, e então seguir sem pestanejar para enfim chegar até uma  bela cachoeira de águas limpas. Um privilégio único conhecer e registrar mais uma incrível cachoeira, o que é uma prova que as redondezas de Garça são fartas de exuberantes belezas.

Logo que chegamos á cachoeira, apareceu um bando de saguis para nos dar as boas vindas com sua algazarra característica. Eram muitos, e até que ficaram um bom tempo ali,  depois foram embora mata a dentro, e então a cachoeira passou a ser só nossa.

O Grande atrativo desta cachoeira é que ela possui um poço profundo que não dá pé, muito bom para banhar-se, mas também existem outros encantos, ela é ideal para brincar com cipó, ir pra lá e pra cá, como se nós tivéssemos voltado a ser crianças. São muitos os cipós pendurados em cima do poço, e é fantástico a resistência deles,  suportam muito peso sem que se rompam, e se acaso escorregar e cair, não tem problemas algum,  o aprendiz de Tarzan vai cair tranquilamente nas águas do poço, não há muito perigo, desde que se saiba nadar, é claro.

DSC03754

DSC03774

DSC03839

 

Cachoeira da Copaíba

Este é mais um pico e uma cachoeira inédita que a lente do Piramba MTB teve o privilégio de registrar. Fica no sentido da estrada de asfalto existente a esquerda das torres. O nome de Cachoeira da Copaíba não foi a toa, existe um belo exemplar desta espécie de árvore bem próximo ao pico de onde cai a água de grande altitude, a cor interna bem avermelhada de seu tronco chama bastante a atenção.

Água que ali existe é de uma transparência de saltar aos olhos, as matas ciliares bem preservadas ou em restauração ajudam a explicar este fato. Antes da grande queda, há uma pequena precipitação muito boa para um banho e em seguida há um poço de mais de um metro de profundidade.

Garça com seus fartos vales, espigões, desfiladeiros e cachoeiras, é um prato cheio para os amantes da natureza, a sensação é de que são inesgotáveis os picos e cachoeiras do município, e por mais que já tenha percorrido vários lugares, sei que ainda restam outros tantos, esse é o maior estímulo de continuar a buscar novas e belas pirambeiras, parece ser um esforço quase infinito, mas que é muito gratificante.

O óleo de copaíba extraído desta árvore tem sido objeto de estudos cada vez mais, e sendo reconhecidas suas propriedades medicinais, algo que a cultura popular indígena já conhecia suas mil e uma utilidades no tratamento de diversas patologias.

Rudi Arena

Sobre o Óleo de Copaíba:

Encontrada na floresta Amazônica e em outras regiões do Brasil, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Pará, São Paulo, Paraná e nas partes mais úmidas do Nordeste, a copaíba (Copaifera sp) ou Copaibeira, pertencente à família da Leguminosae-Caesalpinioideae (leguminosas-cesalpináceas), é uma árvore muito frondosa, com folhagem densa, de grande porte e de madeira avermelhada, também encontrada na África tropical, Antilhas, Colômbia, Guianas, México e Venezuela.

Estudos recentes têm demonstrado que a eficiência terapêutica do óleo integral é maior do que as de quaisquer outras partes isoladas da copaibeira. Pesquisas in vivo e in vitro têm demonstrado que os óleos de várias espécies de copaíbas apresentam diversas propriedades terapêuticas.

Óleo de copaíba é uma riqueza brasileira, presente de forma especial na Amazônia. É um óleo bastante estudado, havendo uma grande quantidade de artigos científicos sobre os seus benefícios. O óleo de copaíba, podemos assim dizer, é um produto natural, (quando ele é extraído e manipulado de forma correta). Desde remotos tempos, o copaíba já era bastante conhecido pelos Incas, Maias e pelos nossos índios no Brasil. Era chamado de “óleo da vida”. Isto porque foi considerado o óleo que mais salvou vidas no Brasil.

Veja os seus benefícios, quais doenças ele combate:

– O óleo de copaíba tem grande quantidade de propriedades regeneradoras, nutritivas, curativas, tônicas e lubrificantes…
O óleo de copaíba apresenta ação analgésica, anti-inflamatória e relaxante;
* combate o estresse;
* azia, úlcera e gastrite;
* massagem ou hidratação da pele e cabelos;
• O óleo essencial é um excelente fixador de perfumes.

Estudos recentes revelam que, além de imensamente útil para infecções e inflamações em geral, por sua excelente ação cicatrizante, a planta também tem ação expectorante, antimicrobiana e é indicada no tratamento de inúmeras enfermidades, feridas, eczemas, urticárias, furúnculos, seborreias, afecções da garganta, tosse, gripe, disenteria, incontinência urinária, corrimento vaginal: quase tudo pode ser tratado com a copaíba. Pesquisas também apontam que a copaíba pode ser uma esperança no combate ao câncer.

Fonte: http://www.noticiasnaturais.com
http://www2.uol.com.br