Hidrelétrica de Furnas de Bike

Em um único e proveitoso dia, conhecemos de bike a Pedreira Lagoa Azul, o Mirante do Canion e dada a proximidade, não poderíamos deixar de conhecer a famosa Hidrelétrica de Furnas, pena que seu nome ultimamente e infelizmente anda associada ao noticiário Político-Policial com a chamada a Lista de Furnas, em que constam nomes de conhecidos políticos suspeitos de corrupção e que envolve esta importante usina de energia elétrica.

A entrada para visitação é franca e sem restrições, e é muito bela a vista  de cima do gigantesco lago de furnas ou “mar de furnas” como também é chamado, pois banha 34 municípios mineiros. Vale a pena conhecer, assim como toda estrutura da Hidrelétrica e as belezas do seu entorno, pois é um lugar único em que o lago de Furnas encontra com a Serra da Canastra.

DSC06244

DSC06233

A barragem está localizada no curso médio do rio Grande, no trecho denominado “Corredeiras das Furnas”, entre os municípios de São José da Barra e São João Batista do Glória, em Minas Gerais.

Sua construção começou em julho de 1958, tendo a primeira unidade entrado em operação em setembro de 1963 e a sexta, em julho de 1965. No início da década de 70, foi iniciada sua ampliação para a instalação das sétima e oitava unidades, totalizando 1.216 MW, o que colocou a obra entre uma das maiores da América Latina. A localização privilegiada da usina (500 km do Rio de Janeiro, 400 km de São Paulo e 300 km de Belo Horizonte) permitiu que se evitasse, em meados da década de 60, um grande colapso energético no Brasil, evitando o racionamento e o corte no fornecimento de energia elétrica ao parque industrial brasileiro. A potência prevista no início de sua construção correspondia a 1/3 do total instalado no Brasil. A Usina de Furnas, além de se constituir em um marco de instalação de grandes hidrelétricas no Brasil, possibilitou a regularização do rio Grande e a construção de mais oito usinas, aproveitando, integralmente, um potencial de mais de 6.000 MW instalados.

DSC06227

DADOS TÉCNICOS:

BARRAGEM:

Tipo: enrocamento com núcleo de argila
Altura máxima: 127 m
Desenvolvimento no coroamento: 554 m
Largura no coroamento: 15 m
Elevação no coroamento: 772 m
Volume total: 9.450.000 m³

RESERVATÓRIO:

Extensão máxima: 220 km
Nível normal de operação: 768 m
Nível de máxima cheia (Nível máximo maximorum): 769,30 m
Nível de desapropriação: 769 m
Nível mínimo de operação: 750 m
Área inundada: 1.440 km²
Volume total: 22,95 bilhões m³
Volume útil: 17,217 bilhões m³

ESTRUTURA DE CONCRETO:
TOMADA D’ÁGUA:

Comportas:
Tipo – vagão
Quantidade – 8
Altura d’água sobre a soleira – 33,5 m
Dimensões:
largura – 4,7 m
altura – 9,7 m
Fabricantes: Rheinstahl/M.A.N.(R.F. da Alemanha)

VERTEDOURO:

Descarga Máxima: 13.000 m³/s
Comportas:
Tipo – segmento
Quantidade – 7
Dimensões:
largura – 11,5 m
altura – 15,8 m
raio – 14,1 m
Fabricante: HIH (Japão)

CASA DE FORÇA:

Tipo: coberta
Dimensão: 186 m x 28 m
Unidades geradoras:
quantidade – 8
rotação: 150 rpm
potência nominal: 152 MW
Turbinas:
Tipo – Francis de eixo vertical
Diâmetro do rotor – 4,485 m
Fabricantes:
1 a 6 (Nohab/Suécia)
7 e 8 (Nohab/Suécia e Bardella/Brasil)
Geradores:
Freqüência – 60 Hz
Tensão nos terminais: 15 kV
Fabricantes:
1 a 6 (Siemens/R.F.Alemanha)
7 a 8 (CGE/Canadá e MEP/Brasil)
Transformadores: 26 (operação mais reserva)
Tipo – monofásico
Capacidade total em operação – 1.279,92 MVA
Relação de transformação: 15/345 kV
Fabricantes: Fabricantes: GE (USA) / Jeumont Schneider (França)

Rudi Arena

Fonte: http://www.furnas.com.br/hotsites/sistemafurnas/usina_hidr_furnas.asp

 

Pedreira Lagoa Azul – Serra da Canastra – Capitólio-MG

Saímos com as bikes da pousada Terezinha do Flor  que fica nas proximidades da cidade de São João Batista do Glória-MG, era grande  a expectativa para conhecer um pouco das maravilhas que a Serra da Canastra proporciona.

Para começar, pegamos um estradão bem movimentado, com muitos caminhões que levantavam muita poeira. Depois de um curto trecho de asfalto próximo a Hidrelétrica de Furnas,  enfim pulamos para o Parque Nacional da Serra da Canastra em direção a Pedreira Lagoa Azul.

Mas antes de chegar no almejado lugar, foi preciso encarar uma longa e íngreme subida. E ao chegar, logo de cara percebemos a bela recompensa,  todo o esforço não foi em vão. Apesar do outono, o dia era de sol e temperatura agradável, então foi o momento de entrar na água e relaxar após uma desgastante subida. Menos eu, que estava com uma forte gripe e e resolvi não entrar na gelada água da lagoa com receio de piorar a moléstia.

É um lugar encantador, uma belíssima lagoa de águas cristalinas, onde antes  existia uma pedreira, agora desativada, e que passou a fazer parte do território do Parque Nacional da Serra da Canastra, embora exista informações de que existe atividade clandestina ainda no local.

A quantidade de pedras mineiras ao redor é enorme, esta é um quartzito muito usado na construção civil apesar de ser originária da serra da Canastra, é utilizada no Brasil a fora.  Um lugar espetacular, e está localizado no município de Capitólio-MG, mas é próximo também de São João Batista do Glória-MG, o acesso é fácil para bike, com carro de passeio já um tanto complicado, o recomendado mesmo é um veículo 4×4.

Rudi Arena

DSC06108

DSC06141

DSC06163

DSC06186

DSC06150