Pequenos Detalhes e Cores da Fauna e Flora do Entorno da CIA Inglesa

No último sábado, em um dia lindo de sol e de temperatura amena que já prenuncia o clima  do Outono que está por vir, o destino do pedal era chegar até a Igreja da Companhia Inglesa, mas como bons pirambeiros que somos, resolvemos explorar um pouco o território por detrás do templo e da antiga escola que um dia existiu ali, e que hoje está em ruínas.

DSC05851

DSC05891

DSC05874

DSC05869

DSC05872

DSC05905

DSC05903

DSC05889

DSC05896

DSC05909

O que encontramos também em um único dia, além de muito verde e água,  também foi um colorido que encanta. Isto é, para quem tem tempo e olhos para perceber pequenos e reluzentes detalhes ao redor. Depois, é só contemplar  estes pontos coloridos no ambiente  proporcionado pela rica flora, bem como a fauna que de forma surpreendente sobrevive como pode, o que que demonstra toda sua resiliência. Apesar da ação nociva do homem em seu habitat, que por um lado recupera a mata ciliar ali, e por outro continua a desmatar aqui e acolá, isso é comum em várias regiões do país a fora, as vezes dentro de um mesmo município.

Rudi Arena

 

Um Canal que Faltava na Região

A região de Marília, incluindo Garça e os municípios próximos contam agora com um importante canal de vídeos, trata-se do canal do Youtube do Professor Elândio Ferreira que com propriedade presta um serviço quase que de utilidade pública para a educação ambiental e histórica de nossa região. Segue o link do referido canal que merece mais do que uma espiada:

https://www.youtube.com/channel/UCnhPVoqlzQOWqNlL9rorwmw

Entre muitos vídeos interessantes, tem esta espécie de documentário sobre a companhia inglesa com riqueza de imagens, detalhes e informações, vale a pena conferir. Assim como os outros vídeos do canal que vem a complementar com narração alguns lugares por onde o Piramba já passou.

Rudi Arena

 

 

Piramba MTB é Notícia

Como podemos perceber, o PIRAMBA MTB foi citado e também foi fonte da matéria sobre a Fazenda São João do Tibiriçá ou Fazenda dos Ingleses e seu imponente templo católico em matéria publicada no periódico de Bauru, o Jornal da Cidade. Este que é um  Jornal de grande circulação,  um dos maiores do interior paulista. E mais recentemente, fomos também notícia em outra matéria de três páginas do mesmo Jornal, desta vez referente as cachoeiras inexploradas que existem em Garça, ambas matérias assinadas pelo jornalista Aurélio Alonso. Para nós do Piramba MTB, é gratificante poder colaborar tanto com a divulgação da memória da companhia inglesa, como também levar ao conhecimento de muitos, lugares de natureza exuberante e quase desconhecidos pela população que vive a sua volta.

Veja Aqui a Matéria – Link dos arquivo em PDF das três páginas publicadas no Jornal da Cidade de Bauru refere ao PIRAMBA MTB, versão impressa de 04/12/2016:

jornal-da-cidade-piramba-mtb-1
jornal-da-cidade-piramba-mtb-2
jornal-da-cidade-piramba-mtb-3

Só possível ajudar na preservação de algo, se soubermos de sua existência, daí a importância da divulgação, e também ajudar a mostrar a diversidade de cachoeiras que podem muito bem ser objeto de ecoturismo na região, sem descartar também o turismo histórico da Companhia Inglesa, e até mesmo agroturismo em fazendas cafeeiras de Garça que ainda preservam o passado da época áurea do ciclo do café. O Turismo de Aventura ou Rural pode ser desenvolvido, pois existe uma grande demanda por lugares tranquilos para se fugir da agitação dos centros urbanos.

Em uma nossa região, no município de Lupércio, já existe há um bom tempo uma propriedade rural que explora a visitação de uma cachoeira, mas também oferece refeição e chalés para serem alugados. Felizmente, Garça possui cachoeiras e picos bem mais belos, como vários já publicados aqui, sem menosprezar a beleza da cachoeira de Lupércio (link do Post da Fazenda Floresta.).

Não adianta achar que o reconhecimento e a valorização do que temos de nobre e belo a nossa volta será feita por pessoas que estão longe e distantes, pode ocorrer sim, mas só poderá ser fator de mudanças se quem aqui viver compreender que Garça pode ter vocação para o ecoturismo, e ter a  consciência da necessidade de preservação de nossas nascentes e matas. Isso deveria ser visto como um ativo valioso, pois a floresta em pé tem um valor imensurável, inclusive é possível viabilizar a exploração econômica se houver vontade e integração entre o poder público e proprietários rurais. É de suma importância ainda, contar com o apoio da sociedade civil que também seria beneficiada com o desenvolvimento de mais está atividade econômica na região.

Links das Matéria do Jornal da Cidade (Publicação Digital):

http://www.jcnet.com.br/Regional/2016/11/igreja-e-o-que-sobrou-do-apogeu-ingles.html

http://www.jcnet.com.br/Regional/2016/12/garca-tem-cachoeiras-inexploradas.html

Nós que estamos próximos dos tesouros espalhados pelos nossos vales, grotões e desfiladeiros, temos que ser agentes conscientes da riqueza desses locais e da necessidade de preservar e recuperar as mata ciliares de córregos e nascentes que são tão fecundas por aqui. Se quisermos atrair turistas com nossas belezas naturais, será preciso ocupar-se do sério problema do assoreamento de nossos córregos, apesar de esforços localizados em sentido contrário, são muitas as áreas de preservação permanente(APPS) a serem recuperadas. Os desafios são gigantes, mas é preciso que exista uma pedra basilar, seja plantada a semente a ser desenvolvida, e se o ambiente for fértil, naturalmente poderá germinar e depois florescer, mas para isso é preciso criar as condições necessárias. A natureza fornece o principal, mas sem que os homens se organizem com bom planejamento, as cachoeiras de Garça permanecerão inexploradas, como bem diz o principal título da matéria publicada.

Rudi Arena

Um Patrimônio Histórico em Ruína. Até Quando Esperar?

DSC04661
DSC04660

Recentemente fomos de bike até a Igreja da Companhia Inglesa, e o que vimos é preocupante, um patrimônio histórico, cultural e arquitetônico a espera de seu fim anunciado, que não deve tardar em chegar. Se permanecer o abandono, o desabamento de sua frágil estrutura é questão de tempo e infelizmente não temos notícia de que algo está sendo feito para evitar o pior. A degradação de um patrimônio histórico é triste, mas a sua perda, é irreparável, por isso, urge que as autoridades competentes tomem alguma medida para a preservação e quem sabe a sua restauração.

Não dá pra se conformar com este fim, pois o lugar tem uma história tão rica e a igreja traços arquitetônicos tão belos, cujo valor é impossível estimar em dinheiro. Não há nada pague a preservação do passado, da história, do valor artístico da arquitetura, além de ser um lugar que fez parte da vida de milhares de moradores que passaram pela da Fazenda São João ou Fazenda dos Ingleses. Foram os áureos tempos, e hoje virou um abrigo para pássaros e morcegos, mas que ainda assim, atrai muitos visitantes, o que demonstra o potencial que lugar tem para atrair um turismo histórico-cultural.

DSC04658
DSC04657

Esta peculiar e bela igreja preenche todos os requisitos para que o imóvel seja tombado como patrimônio histórico e arquitetônico, mas isso não garante a sua restauração, apenas proíbe que seja demolido ou descaracterizado. A igreja está localizada em Gália-SP, portanto, as autoridades locais poderiam envidar esforços para ao menos o seu tombamento, o investimento na restauração dificilmente o município de Gália arcaria, ainda mais em tempo de crise, mas com a iniciativa do tombamento, o próximo passo seria buscar recursos estaduais ou federais para a restauração. Seria interessante uma hipotética cooperação entre as prefeituras de Gália-SP e Garça-SP, ambas poderiam se beneficiar com a iniciativa, e quem sabe a Igreja Católica não poderia contribuir também com algo, ou restará a sociedade civil se organizar para isto?

De qualquer forma, é preciso ser realista, não há saída simples para este caso, é uma corrida contra o tempo, e este é inexorável, não perdoa nada e nem ninguém. O primeiro passo deveria ser o seu tombamento, mesmo que seja um processo demorado e burocrático, mas com o reconhecimento público e oficial de seu valor, ficaria mais fácil angariar e convencer da necessidade de se investir na restauração do templo católico, antes que seja tarde demais ou ainda mais custoso.
DSC04656
DSC04655

Como é possível ver nas fotos tiradas há alguns dias atrás, a fachada da igreja está com uma enorme rachadura de ponta a ponta, e por dentro, o teto está cheio de aberturas e escorado por estacas de forma precária, as paredes próximas ao altar também possuem grandes rachaduras, a escada interna de madeira está em frangalhos, e todos os belos e coloridos vitrais da igreja estão quebrados.

Se sonharmos um pouco, ali poderia voltar quem sabe a ser uma linda igreja, onde pudessem ser celebradas cerimônias religiosas para a comunidade da região, ou então uma espécie de museu para resgatar a rica memória da Companhia Inglesa e da Fazenda São João. Ou será que teremos que nos conformar em assistir passivamente a sua progressiva deterioração até a definitiva perda deste inestimável patrimônio de nossa história?

Rudi Arena

DSC04653