Bike: Pedalar é Saudável e Sustentável

Originalmente publicado na página do Ecooar no link: https://blog.ecooar.com/bike-pedalar-e-saudavel-e-sustentavel 
Texto de João Daniel F. de Andrade – Engenheiro Agrônomo • MBA Gestão de Negócios • Atuação na área de produção agrícola
Quando optamos por nos locomover utilizando a bicicleta, hoje mais conhecida como bike, fazemos a opção mais assertiva para um modal de locomoção que se mostra extremamente engajado, que muitas pessoas fazem questão de incluir em suas rotinas.
Foto mostra duas pessoas andando de bike ao lado de um lago e de um morro
A bicicleta trás inúmeros benefícios para quem a pedala

Documentos históricos mostram que Leonardo da Vinci, o inventor italiano, mais conhecido por pintar a Mona Lisa, já imaginava algo parecido com a bicicleta no século XV. Após muitos anos, mais precisamente em 1879 H.J.Lawson criou a “Bicyclette” que foi melhorada já em 1880 por John Kemp Starley, que ficou muito parecida com os modelos atuais.

Inclusive as primeiras bicicletas chegaram ao Brasil no ano de 1898, vindas da Europa.

Com uma história de pouco mais de 500 anos, nossa querida bike ou ‘magrela’ ultrapassou gerações, modernizou-se, mas pouco se transformou, mantendo seus parâmetros geométricos ao longo de tanto tempo.

Saúde é o que interessa

As amadas e “sofridas” pedaladas, contribuem muito para nossa saúde, ajudam a combater o stress (doença que atinge cada vez mais a população), melhora o sono, combate o colesterol alto, previne doenças cardíacas, de pele, dentre outras, como afirma Alexandre Evangelista, coordenador de pós-graduação da central de curso da Faculdade Gama Filho.

Foto mostra bike em frente a uma cachoeira
Fazer uma trilha de bike ajuda a aliviar o stress do dia a dia

Quando for pedalar, beba pelo menos 300 ml de água antes de sair com sua bike e também é aconselhável hidratar o corpo a cada 30 minutos. Evite beber água ou um isotônico apenas quando sentir sede, pois se isso acontecer significa que seu corpo já estará sentindo os efeitos da desidratação.

Bike pelo mundo

Os países mais desenvolvidos investem muitos recursos nessa forma de locomoção, promovendo cada vez mais a acessibilidade do cidadão com a utilização da bicicleta em ambientes públicos, supermercados, metrôs, entre outros. Exemplos para isso não faltam.

Foto mostra pessoa andando de bike em meio a uma mata
Nos Estados Unidos o que não faltam são áreas verdes para pedalar

Em Amsterdã, na Holanda, conhecida como a cidade das bicicletas, existem mais de 760 quilômetros de ciclovias apenas dentro da cidade, que são utilizadas por quase 900 mil bikes diariamente.

Outro bom exemplo de uso de bike são as competições como o Tour de France ou Volta da França que é uma das mais importantes provas de ciclismo de estrada do mundo, realizada pela primeira vez em 1903. Hoje ela conta com ciclistas de vários países e é dividida em 21 etapas, percorrendo cerca de 3 200 km, passando por montanhas e finalizando na Avenida de Champs-Élysées, em Paris. Muitos deles utilizam bikes cada vez mais leves, como a Specialized Tarmac, com peso final de apenas 6 quilos que foi desenvolvida em parceria com a McLaren, com design único.

Foto mostra bikes para alugar no Central Park, em Nova York
Em Nova York o Central Park possui uma estrutura com aluguel de bicicletas,
que são uma boa opção para conhecer o parque

Mas se você não é um atleta profissional e estiver em New York pode pedalar pelo Central Park alugando uma das bikes que ficam no seu entorno, curtindo um belo passeio pelo local. Nos países que incentivam a prática desse habito, existe uma redução dos gastos públicos no setor da saúde. Além de tudo, quando substituímos o carro pela bicicleta, deixamos de jogar na atmosfera quase 3 toneladas de CO² por ano, contribuindo diretamente no combate ao aquecimento global. Calcule aqui a sua pegada de CO² e saiba quantas árvores são necessárias para compensar a sua pegada de carbono.

Bike é mais sustentável

Juntar uma turma de amigos e sair para pedalar é uma boa. Um dos exemplos é o Piramba MTB, um grupo formado por aproximadamente 40 amigos apaixonados por este esporte. O nome do grupo é uma homenagem ao local que eles mais visitam em suas pedaladas: a piramba, que é uma subida muito íngreme, de difícil acesso, muitas vezes contendo buracos, pedras, areia e geralmente de terra batida.

Foto mostra integrantes do Piramba MTB em frente de uma plantação de girassóiscoco
Parte do grupo Piramba MTB: vivendo o esporte e trilhando novos caminhos

Essa turma não pedala apenas por benefícios a saúde, mas também apóia e incentiva o uso da bicicleta como um meio de transporte sustentável e ecologicamente correto, contribuindo com a redução de toneladas de CO² da atmosfera.

A regra absoluta, quando saem para pedalar, é não deixar nenhum tipo de vestígio, ou seja, lixo que polua a flora do local, ou que sirva para colocar algum animal silvestre em risco, evitando até a poluição sonora, para não assustar a fauna.

Foto mostra ave Carcará sobre uma cerca com um vale ao fundo
Ao pedalar pelo campo, pode-se ver maravilhas da fauna, como o gavião Carcará

Durante seus passeios pelo campo, os integrantes da equipe Piramba MTB promovem a disseminação de sementes frutíferas, que são levadas para as trilhas e semeadas ao longo delas, para que um dia possam servir de alimento aos animais ou pessoas que passem pelo local. Afinal, comer uma fruta fresca colhida do pé e fazer uma bela trilha, é um grande privilégio. Privilégio esse que só depende de ações positivas que combatam as inúmeras ações negativas que o ser humano realizou no passado.

Além disso o grupo também possui o Selo Verde Ecooar, compensando parte de suas emissões em suas redes sociais e website.

Foto mostra logo do Piramba MTB e integrantes do grupo pedalando cada um uma bike em uma área com barro
Ecologia, sustentabilidade e saúde são alguns dos benefícios proporcionados pela bike

Essa turma dá um show nessa trinca verde: ecologia, sustentabilidade e saúde, praticando um esporte pelo qual são apaixonados, contribuindo com meio ambiente e promovendo uma considerável redução dos impactos ambientais que outros meios de transporte trazem para o meio ambiente, um belo exemplo a ser seguido. São ações como essas que realmente fazem a diferença com grandiosos resultados.


João Daniel F. de Andrade
Engenheiro Agrônomo • MBA Gestão de Negócios • Atuação na área de produção agrícola
Contato: joao_engenheiro@hotmail.com

Matéria sobre o Turismo em Garça com Participação do Piramba MTB (TV Record)

Dia 27/12/2019 foi veiculado no programa Balanço Geral do interior, exibido pela TV Record e  dentro da série “Expedição ao Interior”,  uma reportagem que trata da nossa querida cidade de Garça-SP, muito estimada pelo Piramba MTB, pois é ela que proporciona as iradas trilhas e as belas cachoeiras que tanto desfrutamos.

Logo, esta matéria de TV que enaltece os atributos turísticos do município, foi motivo de grande alegria para nós. Ainda mais, porque sempre batemos na tecla do grande potencial de ecoturismo que é subestimado no local,  tamanha são as beleza naturais que existem  escondidas em seus diversos vales e grotões.

Tem mais, contribuímos em um pequeno trecho do vídeo em que nosso grande amigo Pirambeiro Vicente Concessa é entrevistado  e ao fundo aparecem outros pirambeiros com  suas magrelas em seu habitat natural. A breve participação do Piramba MTB surge a partir dos 5 minutos do vídeo.

Vale a pena conferir toda a matéria que mostra a tranquilidade do Jardim Japonês, a beleza do Bosque das Cerejeiras, e os atrativos do Lago Artificial J. K. Willians como um todo, tem ainda o encanto do Hipismo com provas do tambor e  as cavalgadas em meio a natureza.

Isso não é tudo, aqui também é lugar de muitas trilhas e ao menos  80 cachoeiras para quem quiser se aventurar em algo mais radical, só o Piramba MTB já visitou e registrou cerca de 40 na região e depois consolidou essas informações no mapa abaixo.  Nessa questão, a mãe natureza foi muito generosa com Garça e seu entorno. E vou além, existe ainda um outro atrativo local que vem despertando interesse, é a observação de aves, pois para quem gosta do tema a região é um prato cheio.

E não é só, tem também várias florestas, desde de mata atlântica, de mogno africano, de eucaliptos e seringueiras, e ainda muitos cafezais espalhados.  Sem contar o potencial para explorar a rica história do município ligada a cultura cafeeira, e o legado deixado em várias de suas tradicionais fazendas de Café. É uma região muito associada a esta cultura, e um lugar em que 80% de sua produção é voltada para exportação do café tipo arábica, considerado superior.

Assim, alguns cafeicultores de Garça já trabalham para fazer cafés especiais,  e também para o reconhecimento de identidade geográfica  para agregar valor ao produto local, e assim quem sabe se tornar uma referência no tema.  Pensando mais longe, porque não criar uma Rota do Café, para visitar as belas plantações, as antigas fazendas  e quem sabe também ter estrutura para degustar cafés nobres.

Não é algo impossível, pelo contrário, e isso poderia ser uma boa forma do município alavancar sua economia, tanto ao agregar maior valor ao Café produzido aqui, como  também com o Ecoturismo e o Turismo Rural, se fizer um elo entre essas duas coisas com sustentabilidade, Garça só tem a ganhar.

Um ótimo ANO NOVO a todos com muita saúde e paz sobretudo, e que as realizações e alegrias se multipliquem, sempre com muito respeito a vida, ao meio ambiente e as pessoas. Para o Piramba MTB que seja um ano de muita atividade, com muito pedal, fortalecimento das amizades e bastante contato com a natureza.

Rudi Arena

 

 

 

 

Piramba MTB é Notícia

Como podemos perceber, o PIRAMBA MTB foi citado e também foi fonte da matéria sobre a Fazenda São João do Tibiriçá ou Fazenda dos Ingleses e seu imponente templo católico em matéria publicada no periódico de Bauru, o Jornal da Cidade. Este que é um  Jornal de grande circulação,  um dos maiores do interior paulista. E mais recentemente, fomos também notícia em outra matéria de três páginas do mesmo Jornal, desta vez referente as cachoeiras inexploradas que existem em Garça, ambas matérias assinadas pelo jornalista Aurélio Alonso. Para nós do Piramba MTB, é gratificante poder colaborar tanto com a divulgação da memória da companhia inglesa, como também levar ao conhecimento de muitos, lugares de natureza exuberante e quase desconhecidos pela população que vive a sua volta.

Veja Aqui a Matéria – Link dos arquivo em PDF das três páginas publicadas no Jornal da Cidade de Bauru refere ao PIRAMBA MTB, versão impressa de 04/12/2016:

jornal-da-cidade-piramba-mtb-1
jornal-da-cidade-piramba-mtb-2
jornal-da-cidade-piramba-mtb-3

Só possível ajudar na preservação de algo, se soubermos de sua existência, daí a importância da divulgação, e também ajudar a mostrar a diversidade de cachoeiras que podem muito bem ser objeto de ecoturismo na região, sem descartar também o turismo histórico da Companhia Inglesa, e até mesmo agroturismo em fazendas cafeeiras de Garça que ainda preservam o passado da época áurea do ciclo do café. O Turismo de Aventura ou Rural pode ser desenvolvido, pois existe uma grande demanda por lugares tranquilos para se fugir da agitação dos centros urbanos.

Em uma nossa região, no município de Lupércio, já existe há um bom tempo uma propriedade rural que explora a visitação de uma cachoeira, mas também oferece refeição e chalés para serem alugados. Felizmente, Garça possui cachoeiras e picos bem mais belos, como vários já publicados aqui, sem menosprezar a beleza da cachoeira de Lupércio (link do Post da Fazenda Floresta.).

Não adianta achar que o reconhecimento e a valorização do que temos de nobre e belo a nossa volta será feita por pessoas que estão longe e distantes, pode ocorrer sim, mas só poderá ser fator de mudanças se quem aqui viver compreender que Garça pode ter vocação para o ecoturismo, e ter a  consciência da necessidade de preservação de nossas nascentes e matas. Isso deveria ser visto como um ativo valioso, pois a floresta em pé tem um valor imensurável, inclusive é possível viabilizar a exploração econômica se houver vontade e integração entre o poder público e proprietários rurais. É de suma importância ainda, contar com o apoio da sociedade civil que também seria beneficiada com o desenvolvimento de mais está atividade econômica na região.

Links das Matéria do Jornal da Cidade (Publicação Digital):

http://www.jcnet.com.br/Regional/2016/11/igreja-e-o-que-sobrou-do-apogeu-ingles.html

http://www.jcnet.com.br/Regional/2016/12/garca-tem-cachoeiras-inexploradas.html

Nós que estamos próximos dos tesouros espalhados pelos nossos vales, grotões e desfiladeiros, temos que ser agentes conscientes da riqueza desses locais e da necessidade de preservar e recuperar as mata ciliares de córregos e nascentes que são tão fecundas por aqui. Se quisermos atrair turistas com nossas belezas naturais, será preciso ocupar-se do sério problema do assoreamento de nossos córregos, apesar de esforços localizados em sentido contrário, são muitas as áreas de preservação permanente(APPS) a serem recuperadas. Os desafios são gigantes, mas é preciso que exista uma pedra basilar, seja plantada a semente a ser desenvolvida, e se o ambiente for fértil, naturalmente poderá germinar e depois florescer, mas para isso é preciso criar as condições necessárias. A natureza fornece o principal, mas sem que os homens se organizem com bom planejamento, as cachoeiras de Garça permanecerão inexploradas, como bem diz o principal título da matéria publicada.

Rudi Arena