Você conhece a cachoeira da união?

Você conhece a cachoeira da união? Fica na cidade de Garça! Venha conferir todas as nossas cachoeiras!Turismo em Garça.
Nossa amigo Tom conseguiu sobrevoar a cachoeira e nos deu de presente essas cenas.
#Cachoeira #União #Waterfall #Aventura #Drone #Fly #Nature #Garça#Piramba #Turismo #CentroOeste #Paulista #Brasil #Marília #Bauru#Ourinhos #Lins #RioPreto #SãoPaulo #Campinas

 

Conheça a Cachoeira do Carcará!!

Conheça a Cachoeira do Carcará vista de cima!!!

É apenas uma das centenas de cachoeiras de Garça-SP, próxima a cidade, fica entre o bairro São Lucas e o Aeroporto do município.

Imagens gentilmente cedidas por Antônio Brandão

#Cachoeira #Pneu #União #Waterfall #Carcara #Aventura #Drone #Fly#Nature #Garça #Piramba #Turismo #CentroOeste #Paulista #Brasil#Marília #Bauru #Ourinhos #Lins #RioPreto #SãoPaulo #Campinas

Cachoeira do Pneu ou Stand

Conhece a Cachoeira do Pneu? Você pode ter ouvido fala então na cachoeira do Stand?
Nosso amigo Antônio Brandão nos proporcionando essas belas imagens!!

#Cachoeira #Pneu #União #Waterfall #Aventura #Drone #Fly #Nature #Garça #Piramba #Turismo #CentroOeste #Paulista #Brasil #Marília #Bauru #Ourinhos #Lins #RioPreto #SãoPaulo #Campinas

Trilha do Urubu e Descida pela Fazenda Antinhas – Garça-Sp

Pedal com todos os ingredientes de uma verdadeira trilha de mountain bike, tem um pico de uma cachoeira bem alta e com visual fascinante, subindo ainda o curso da água, também há um belo e amplo poço, lugar ótimo para tomar uma banho e relaxar um pouco.

Depois, não tem muito refresco, é pedalar firme na maior parte em chão de pasto que obriga o ciclista a gastar mais energia para pedalar, ainda bem em compensação, boa parte da trilha é repleta de belas paisagens de serra, com paredões e vales.

Um dos trechos mais aguardados é a descida ao fundo do vale pela Fazenda Antinhas, em terreno acidentado, a íngreme descida é campo fértil para eventuais tombos, e foi o que ocorreu. Em seguida, é preciso seguir andando pela grama e atravessar alguns brejos até enfim pular uma cerca para chegar quase no final em uma estrada de terra.

Daí em diante, força, coragem e ânimo, pois é subida que não acaba mais até finalmente voltar para a estrada de asfalto que leva para Itiratupã, Distrito de Jafa no município de Garça-SP. Total do Percurso foram 44 Km rodados, mas a sensação foi de que havia sido mais do que isto.

Rudi Arena

Cachoeira da União – Pico do Tucanos – Torres

Pedalar por esta trilha é sempre gratificante,  pois é  a certeza de que encontrará belas paisagens da serra que existe ao lado direito da Estrada da Bomba e também pode contar um refrescante de banho de cachoeira. Neste dia, no meio da pirambeira o “S” ou câmbio traseiro da bike do nosso amigo Fabiano quebrou de forma que não tinha recuperação alguma, o momento foi de tensão, voltar a pé seria uma tarefa muito árdua, não teria como pedir socorro de alguém de carro, pois só havia pasto, vales e trio de boi a nossa volta e voltar a pé carregando a bicicleta depois de tudo que já havíamos descido não seria nada fácil.

No fim, a solução encontrada foi a de amarrar o “S” com borracha de câmera de bicicleta e cortar vários gomos da corrente de modo que deixasse em uma marcha só e sem a necessidade do câmbio traseiro. E não é que deu certo, graças ao bom trabalho do pirambeiro Rafael que estava com sua chave de corrente de prontidão. Depois de superado este nem tão pequeno contratempo, seguimos em frente até chegar ao Córrego do Barreiro e subimos  o íngreme e cansativo morro para voltar à Garça pelas antenas e a estrada do Jardim Adrianita.

São 26 Km de trilha,  mas a sensação ao final do pedal é de que foi mais, pois é um pouco cansativo também percorrer um terreno difícil de andar de bike, com alguns obstáculos no caminho, como mato no meio do trio de boi ou este tão fundo e estreito que não é possível pedalar, mas isso é também o que deixa o pedal ainda mais gostoso, pois se só houver facilidades, perde-se um pouco a graça do negócio. Trilha mais que recomendada,  é super legal para pedalar e contemplar a natureza exuberante que existe no entorno do perímetro urbano, e que a maioria esmagadora dos habitantes da cidade, infelizmente,  não a conhece.

Rudi Arena

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cachoeira do Cantu

 

Simplesmente a cachoeira mais encantadora de Garça e região, é água que cai por todos os lados e ainda há um belo poço para banhar-se. Fantástica.

 

Bomba X Torres X Igurê

Descer de bicicleta a Estrada da Bomba (adutora B1) é certeza de adrenalina que aumenta na medida de sua velocidade,  a descida mais íngreme da região, juntamente com a descida de Jafa para estrada 09 de Julho, as bikes podem atingir mais de 60 km o que acaba sendo perigoso, o terreno é acidentado e uma queda pode arrebentar com o ciclista.

Já próximo ao final dela, chega-se na ponte de madeira do córrego do barreiro, seguimos mais um pouco e então subimos um morro em que é impossível pedalar na maior parte do tempo, há uma trilha de pedra muito boa de fazer descendo, mas subindo é bruta demais.

Depois disso, é só sair na direção da estrada de terra que existe próxima as torres da estrada de terra da Adrianita, ao invés de pegarmos esta, preferimos atravessar a rodovia SP-294. Voltamos pela trilha da Igurê paralela a pista, para em seguida ir em direção Terreirão de café da fazenda, o que deu um brinde a mais ao final deste pedal que mistura fortes descidas, subidas idem, visual bonito e vário tipos de terreno.

Trilha de pouca quilometragem (26 km), mas ótima para sentir o doce gosto que a prática do mountain bike pode proporcionar, sem negligenciar é claro suas pitadas de intensidade e momentos de leve amargor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rudi Arena

Cachoeira Paredão

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia 19/10/2011, às 18h saímos com de Garça-SP com destino a uma cachoeira que ainda eu ainda não conhecia, aliás, apenas o Rafael conhecida, e por isso foi nosso guia neste pedal. Sempre tem uma emoção a mais ir rumo ao desconhecido, mas ainda, quando já somos avisados de que existe uma parte antes de chegar á cachoeira em que é preciso uma pequena corda tanto para descer como para subir. A emoção ficou maior ainda quando constatamos que estávamos sem corda e só nos sobrou ir com a cara e a coragem. Para chegar lá, é preciso pegar a estrada de terra que leva ao bairro rural Adrianita e seguir até as torres, depois, segue por um trilho de terra paralelo a rodovia SP-294 , mas logo tem que virar a esquerda, para entrar em uma fazenda repleta de coqueiros. Depois de atravessar a fazenda, chegamos até ao limite para se carregar as bicicletas, então, passamos três cadeados nas magrelas e fomos conhecer mais uma cachoeira. E que cachoeira, e como toda boa cachoeira cobra seu justo pedágio, e esta cobrava um alto preço, ainda mais para quem está desprevenido….cadê uma corda???????
Não tínhamos corda, mas estávamos determinados a tomar banho de cachoeira, então fomos superar o primeiro grande obstáculo, que é descer um paredão de pedra vertical em plena ribanceira. Apesar de muitas coisas conspirarem contra, esse obstáculo foi superado, com muito temor, é claro. O mais complicado foi voltar no escuro, e ter que subir o mesmo lugar, pois para descer, todo santo ajuda. Mas, com o apoio de uma pequena planta que virou um improvisado e precário cipó, foi possível segurar nela e transpor mais uma vez o severo obstáculo, mas sinceramente não foi nada simples, pois cada passo tinha que se calculado, qualquer desequilíbrio, poderíamos cair de costas morro abaixo.

Graças a Deus e aos anjos da guarda de plantão, tudo deu mais do que certo, restou o gostinho de aventura, do prazer de um banho de cachoeira revigorante e o agradecimento de poder conhecer mais uma cachoeira fenomenal, que até então nem imaginava que existia. E quanto mais procuro cachoeiras em Garça e região, mas me dou conta da vastidão de belezas naturais ao nosso lado, e a gente não se dá conta, não valoriza, e na maioria das vezes nem imagina que aquela paisagem deslumbrante de cartão postal, mora aí ao nosso lado.

O ritmo muitas vezes frenético da vida cotidiana urbana não deixa muito tempo para a valorização de coisas simples como apreciar o vôo de uma ave ou uma bela vista de vales e cachoeiras, não há hoje muito espaço para se “perder tempo” com a contemplação da natureza em sua forma bruta e exuberante. Infelizmente, o lazer da maioria das pessoas está associado a construções humanas e seus templos de consumo, que chamam muito mais atenção do que o entretenimento maravilhoso que só a natureza pode oferecer. Vejam o vídeo abaixo a difícil tarefa que foi subir e descer até a cachoeira e todas as fotos do pedal, podem ser acessadas na galeria de fotos a direita do blog. Por Rudi.