Dedo de Deus 2 – O Retorno

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em um agradável dia de sol fomos de até a cidade de Lupércio para lá explorar alguns picos e trilhas que existem nas proximidades. Não foi a primeira vez, e certamente não será a última, pois este é um pedal que nunca cansa fazer. Inicialmente, descemos um pouco a serra da rodovia BR-153 que leva a Ourinhos-SP, mas logo que começou a primeira curva, pulamos a grade a direita, e subimos o morro até chegarmos ao ponto mais alto do pico e assim, poder desfrutar da bela e privilegiada visão que existe em volta. A vista de cima desafia quem tem fobia à altura, uma queda dali é certamente fatal, por isso não é aconselhável pedalar próximo ao precípício, qualquer erro bobo pode custar a vida.

Logo mais, seguimos em direção ao verdadeiro destino, poder contemplar o monumento natural conhecido como Torre de Pedra, mas também chamado de Dedo de Deus por sua forma geométrica. E, ainda de brinde, descer a inclinada estrada de terra, que é de serra e tem muitas curvas perigosas. O estradão começa  começa em Nova colúmbia (Ocauçu-SP) e segue em direção a Marília-SP,  fomos apenas até chegar em um rio no fundo de um belo vale  envolto de formaçoes geólogicas peculiares e encostas com matas bem preservadas. Demos um tempo no rio para  nosrefrescar em suas águas limpas e repleta de pequenos peixes, e também para se alimentar. Depois, voltamos em direção a Nova Colúmbia e pedalamos até entrar em uma outra estrada de terra para avistar o Dedo de Deus por outro ângulo. Este é um pedal em que temos sempre a certeza de forte adrenalina por conta das descidas perigosas tanto de asfalto como de terra, bem como é deslumbrantes paisagens ao redor.

O curioso neste dia foi que quando paramos na base da concessionária Transbrasiliana para nos abrigar do sol e trocar o pneu da bike do Rabicó, nos deparamos o socorrista Bruno e que por incrível coincidência lembrou de nós porque havíamos visitado a propriedade rural onde mora quando da ultima vez que fomos ao Dedo de Deus. Ele se lembrava claramente do tombo que o Bulho levou saindo da fazenda que está localizada na região do mirante. Assim, como o Bruno, também a funcionária Silvana nos recebeu muito bem, ofereceram café, água gelada e esbanjaram simpátia. Fica aqui registrado nossos sinceros agradecimentos pela generosa recepção.

Rudi Arena

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s