Trilha da Corredeira

Sábado, 03 de setembro de 2011, às 14:31, reunimos os pirambeiros que tinham disponibilidade e saímos com destino a Corredeira. Para quem não conhece, trata-se de um pequeno vilarejo rural, entre Garça-SP e Pirajuí-SP, um lugar que parece ter parado no tempo ou então, cujo relógio anda em câmera lenta. É um ponto muito conhecido e frequentado por motoqueiros que curtem fazer trilha e também por pescadores que procuram nas águas da corredeira alguns momentos de lazer e tranquilidade.

Para chegar ao nosso destino, inicialmente tivemos que pegar a estrada de asfalto que leva para Álvaro de Carvalho-SP, mas não demora muito, chega a estrada de terra que vai para corredeira, em direção a Pirajuí. Para temperar um pouco o caminho, resolvemos pegar o que era para ser um atalho, entramos em uma grande fazenda com seringueiras de perder de vista. Pedalar neste lugar foi incrível, mesmo percebendo depois, que o percurso acabou ficando um pouco mais longo e cansativo, ainda assim, valeu a pena ter desviado da estrada principal e adentrado na fazenda de belas paisagens.

Ao voltar para a estrada de terra, seguimos em direção ao nosso destino, e quanto mais nos aproximávamos da corredeira, mais bonita ficava a paisagem a nossa volta, a estrada que percorremos é circundada por belos vales e morros, que só de olhar, relaxa a mente e dá paz ao espírito. Mas, a melhor parte do pedal é descer a serra antes de chegar na corredeira, depois também, a natureza cobra seu preço nas íngremes subidas da volta. Não tem problema, cada gota de suor é um pedágio bem pago para quem gosta de contemplar a natureza. No caminho, encontramos também várias aves, que nos brindaram com seu ar da graça.

Ao chegarmos onde tanto queríamos, aproveitamos que era uma tarde de calor e que estávamos a horas nos exercitando sob um sol de rachar mamona, e fomos nos banhar nas águas da corredeira, a água gelada ajudou a amenizar o forte calor. Para refrescar ainda mais, fomos tomar uma tubaína no famoso bar da Corredeira. Aliás, lá, além do boteco, tem também uma igreja e um posto de saúde, que não sei se encontra em funcionamento. O lugar respira um prazeroso ar bucólico, que nos faz sentir muito bem, como se por algum tempo estivéssemos livres dos males da vida urbana.

Já na volta, nem tudo são flores, a subida pela serra é árdua e com o auxílio de muita areia no caminho, não tem como o corpo não sentir os sinais da fadiga, pior que isso, só a crise de câimbras que nosso companheiro Vicente teve. É, pedalar é muito bom e faz bem para saúde, natureza e tudo mais, só que também tem seus momentos sofridos, nada que tire a magia de pedalar terra a fora. Vejam o vídeo abaixo e as fotos do pedal na galeria no lado direito do blog. Por Rudi.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s